12279136_1039130272774954_4717515297346715577_n

Doações de alimentos e água mineral que foram destinados as demais brigadas da região

Sem acesso a conta bancária até fevereiro deste ano, agora a BRAL irá destinar o recurso arrecadado para a construção de sua sede e para ações de prevenção

 

Durante os 60 dias de incêndio que acometeram a Chapada Diamantina de novembro de 2015 a janeiro de 2016, a BRAL (Brigada de Resgate Ambiental de Lençóis) recebeu R$ 77 mil em doações em sua conta bancária. O recurso arrecadado foi resultado de uma campanha realizada para custear as despesas de combate, que conseguiu angariar mais de 900 doações.

Porém, o saldo da conta corrente da entidade foi acessado apenas em fevereiro deste ano, devido a uma limitação burocrática no período dos combates. “A nossa ata de reeleição da diretoria esteve no cartório para ser registrada mais de 45 dias, enquanto não era liberada, o banco não nos permitiu nenhuma movimentação. O que dificultou as operações, mas acabou sendo positivo, pois ficamos com uma poupança e o recurso será destinado a ações de prevenção e a construção da sede”, explica o presidente da BRAL, Augusto Galinares. Na ocasião dos incêndios de 2015, mesmo ano em que a prefeitura suspendeu o auxílio de 50% do valor do aluguel da sede, a falta de um local apropriado foi diagnosticado como um dos principais entraves às operações de combate coordenadas pela BRAL.

Atualmente, a brigada busca a doação de um terreno para a realização da obra. Segundo Galinares, “a sede nos permitirá ampliar a capacidade de mobilização imediata para combates em qualquer local no PNCD e entorno, além de nos dar estrutura para viabilizarmos projetos de monitoramento, restauração de áreas degradadas e de educação ambiental”.

Custeio do combate

A entidade também contou com dinheiro doado em espécie no período dos incêndios, no valor de R$ 5,2 mil. Desse total, destinou-se em torno de 80% para alimentação, 15% para combustível e 5% para gás de cozinha, crédito para celular e ferramentas. Porém, o custeio do combate foi possível, majoritariamente, graças aos donativos enviados por moradores de Lençóis e cidadãos das mais diversas regiões do estado e do país, como alimentos não perecíveis; refeições; lanches; água; sucos; remédios; curativos e equipamentos como lanternas; pilhas; roupas; luvas; calçados, etc.

O excedente de doações (alimento, equipamentos, EPIs, etc) foram integralmente repassados as outras brigadas municipais, igualmente comprometidas com a defesa do meio ambiente, como: Vale do Capão, Seabra, Mucugê, Campos do São João, Rumo e Baixão da Colânia (Itaetê).
“Para se ter uma ideia da importância das doações e da mobilização popular, apesar de todas as dificuldades, conseguimos que todos os focos de incêndios localizados dentro do parque foram debelados antes das chuvas de janeiro”, afirma Diego Serrano, representante da BRAL no conselho municipal de meio ambiente.

A BRAL e seus mais de cem voluntários agradecem e enaltecem todas as doações, pois reconhece serem fruto de um esforço igualmente voluntário e comprometido de toda a sociedade.

Juntos somos mais fortes!


Apoio